sábado, 25 de abril de 2009

SIM?

porque vens a esta hora, se o tempo foi a correr à fonte e partiu uma perna?
ainda para lá anda ao pé coxinho
ficámos aqui todos abandonados sem saber a quantas estamos,
sem saber como fazer o que temos de fazer.

vozes afogadas no fundo do poço
sussurros que se ouvem como gritos

avançar para que amanhã, se o tempo parou?


e se as vozes não calam a dor que se sente?

sexta-feira, 3 de abril de 2009

TODOS; TODOS OS DIAS

Se as flores se lembrassem do primeiro beijo
Se o pólen perfumasse o teu sentir
...sabes que todos os dias aqui venho

Não chores a dor dos outros

Não sorrias por amor

Se as flores se abraçassem
Se o jardim perdoasse
Se voltasses
Reconhecias na minha ausência
Eu estar aqui todos os dias
A olhar para o que te vejo

(E as flores são só molduras)
(O jardim é só pouco mais que a vida)